Thórus Engenharia
Eficiência energética: mais desempenho e sustentabilidade

blog

Eficiência energética: mais desempenho e sustentabilidade

Suíça, Dinamarca, Áustria, Reino Unido e Canadá, você sabe o que estes países têm em comum? Eles são os líderes quando o assunto é eficiência energética. Mas afinal, o que significa isso?

Eficiência energética se refere à utilização da energia da forma mais otimizada e sustentável possível, garantindo os requisitos de conforto, saúde e segurança.

Entrando na parte de edificações, um edifício vertical eficiente é todo aquele que garante uma usabilidade satisfatório aos usuários, utilizando o mínimo de energia.

Energia que transforma, conceitos de eficiência energética

Com o objetivo de integrar todas as disciplinas para deixar o edifício mais eficiente, o conceito de projeto integrado agrega arquitetura, elétrica, hidráulica, iluminação e climatização, garantindo ao edifício uma alta performance.

Para implementar isso, é preciso identificar os principais profissionais que desenvolverão o projeto, reuni-los para uma reunião e documentar quais serão as metas previstas de integração.

Simulação Energética

Fazendo parte de projeto integrado, a simulação energética tem como função a modelagem 3D do edifício e seus sistemas, calculando questões térmicas e energéticas do projeto. Os resultados permitem a comparação de desempenho térmico. Neste processo, é possível utilizar o BIM, já que ele possibilita a simulação de diferente cenários, como:

  • Aperfeiçoar a compatibilização do projeto, diminuindo o desperdício de materiais e retrabalhos
  • Simulações de custos e prazos do empreendimento
  • Simulações de massas conceituais para percepção de orientação, forma, aberturas e materiais no uso potencial da energia
  • Simulações de cargas térmicas de aquecimento e resfriamento
  • Simular diferentes tipos de lâmpada, a altura e a disposição
  • Simulação de motores e equipamentos diversos

Complementando tudo isso, existe o comissionamento, que é um processo de análise energética. O comissionamento é utilizado para medir os dados de eficiência dos sistemas do edifício em funcionamento. Afinal, o que não se mede não se melhora!

Leia também: Edifícios de energia zero: conheça o futuro da construção civil

Como garantir um bom desempenho energético do seu edifício?

Agora que você já sabe o que é e quais os principais conceitos de eficiência energética, é preciso entender como colocá-la em prática. O que irá garantir uma boa eficiência energética são os sistemas utilizados no projeto, como a arquitetura passiva, iluminação, aquecimento, equipamentos, automação de controle de edifícios e energia renovável.

Arquitetura Passiva

A arquitetura passiva é um tipo de técnica que, se feita corretamente, pode reduzir em quase 90% os gastos mensais com energia elétrica. Para isso, essa prática tenta utilizar o máximo dos recursos disponíveis na natureza, como a iluminação e ventilação natural. Dependendo da localização do projeto, a arquitetura passiva terá características diferentes.

Iluminação

Quando se trata de iluminação, um dos principais semblantes de um edifício eficiente é o máximo aproveitamento da iluminação natural. Além disso, é preciso optar por uma iluminação artificial que, junto à natural, garanta a eficiência energética almejada. Aqui, boas escolhas de lâmpadas podem ajudar. Abaixo, alguns modelos eficientes:

  • Halógenas: Estas lâmpadas são melhores que as incandescentes, pois contêm gases de iodo ou bromo, que, sob temperaturas mais altas, apresentam melhor desempenho.
  • Fluorescentes tubulares: Ganhando formas cada vez mais compactas, estas lâmpadas utilizam mercúrio e pó florescente em suas estruturas.
  • Fluorescentes compactas: Mesmo sendo semelhantes às tubulares, elas são consideração inovadoras.
  • LED: Esta é queridinha quando o assunto é eficiência energética, pois ao longo dos anos apresentou inúmeros avanços relacionados à economia de energia.

 

Aquecimento, ventilação e ar condicionado (Avac)

A função do Avac é simples: garantir o controle da temperatura, umidade e pureza do ar. Este sistema depende diretamente da arquitetura passiva, ou seja, ter um projeto arquitetônico passivo bem desenvolvido garante a qualidade do Avac.

Além disso, é o Avac quem assegura o conforto térmico e as condições satisfatórias de um ambiente nos momentos em que os sistemas passivos não o suprem.

Equipamentos

Chegamos a um dos tópicos mais importantes sobre o assunto. Os maiores impactos no bolso no consumidor estão ligados diretamente à utilização de equipamentos. Por isso, é importante ficar atento aos selos e etiquetas, que desempenham a função de mostrar ao consumidor o quanto o equipamento consume de energia.

  • Etiqueta Nacional de Conservação de Energia (ENCE): Sendo emitida pelo Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia (INMETRO), esta etiqueta classifica a eficiência de cada equipamento. Indo de ‘A’ (mais eficiente) a ‘E’ (menos eficiente).
  • Selo Procel: Este selo só é concedido aos equipamentos que apresentam mais eficiência.
  • Selo Conpet: Este selo se restringe à categoria de equipamentos que consomem combustíveis. Ele é concedido pela Petrobrás, mas apenas aos produtos mais eficientes da área.

 

Eficiência Energética

 

Essa simples prática, de comprar equipamentos mais eficientes, é etapa básica em Retrofits – processo de revitalização de tecnologias de edifícios antigos.

Automação de controle de edifícios

O sistema de automação permite mais autonomia do edifício (conhecidos como edifícios inteligentes), pois desempenham algumas funções conforme programação do sistema, como: chamar elevadores, controlar a iluminação de áreas comuns etc. Se você quiser saber mais sobre este assunto ouça o episódio  do nosso podcast Cenário Construtivo com a Neomot, construtech especializada na área, ou leia em nosso blog.

Energia Renovável

A geração e a distribuição de energia é a “cereja do bolo” da eficiência energética, pois ela complementa todos os sistemas instalados para a redução do consumo. Além disso, ela é o fator primordial para se alcançar a autonomia de energia de um edifício, como os famosos Net Zero Energy Building (NZEB). Vamos a alguns conceitos sobre:

  • Energia Solar fotovoltaica: Esta energia é produzida pelo calor do sol, até mesmo em dias nublados. A quantia de energia produzida por esse modelo depende exclusivamente da intensidade da radiação. Quanto mais radiação solar, mais energia.

Leia também: Você sabe como usar a energia solar na construção civil?

  • Energia Eólica: Aqui, a dependência é exclusivamente do ar. A energia do vento é transformada em energia útil, o que é ótimo para o ecossistema, já que ela não produz poluentes.
  • Aquecimento Solar: Este tipo de tecnologia tem como função aproveitar a energia solar para o aquecimento da água. São usados coletores e tubos para a captação do calor do sol.

A eficiência energética em edifícios são requisitos de certificações sustentáveis – como o LEED, na categoria de Energia e Atmosfera, e a etiqueta do PBEEdifica, focada neste tema. A norma brasileira de desempenho NBR 15.575 também aborda a eficiência energética nos sistemas prediais e na parte de desempenho térmico, a partir de práticas passivas na arquitetura.

Se você curtiu esse conteúdo, não deixe de assinar nossa newsletter e acompanhar nossos conteúdos sobre o setor da construção civil!

  • Para escrever este texto, utilizamos o Guia de Eficiência Energética do Sinduscon. Para baixá-lo, clique aqui.   

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Continue lendo:

GOSTOU DO CONTEÚDO?

Se inscreva na nossa newsletter​

A cada duas semanas, um conteúdo exclusivo em seu e-mail