Thórus Engenharia
Nova NBR 5626: como ela vai impactar no seu próximo empreendimento?

blog

Nova NBR 5626: como ela vai impactar no seu próximo empreendimento?

No final de junho tivemos a publicação da nova “NBR 5626 – Sistemas prediais de água fria e água quente — Projeto, execução, operação e manutenção” e conforme prometido foram unificados os sistemas de água fria e água quente.

A legislação ficou mais moderna, dando mais liberdade aos engenheiros e determinando o desempenho mínimo do sistema, o que trouxe um alinhamento com a Norma de Desempenho. Vamos para as principais mudanças:

Duas bombas no sistema de pressurização de forma independente

Agora, nos sistemas de pressurização, comuns nas coberturas e nos últimos andares do edifício, é necessário que existam dois conjuntos motobombas independentes para que, em caso de falha ou manutenção, o sistema continue operando.

Espaço ao redor do reservatório enterrado (cisterna)

Na norma antiga, o espaço mínimo ao redor e fundo do reservatório enterrado era de 60cm, o que na prática gerava um reservatório dentro de uma “piscina”. Agora, a Norma fala que o espaço deve ser o suficiente para permitir a verificação e manutenção, trazendo a possibilidade de fazer a cisterna totalmente enterrada.

Proteção nos sistemas de água quente e fria para não misturar

Com a nova Norma, é necessário proteção para que a água de um sistema ingresse no outro, o que na prática vai trazer a necessidade de instalações de válvulas de retenção no sistema.

Vazões determinadas pelo projetista

As vazões não são mais tabeladas pela norma, cabendo ao responsável pelo projeto determinar as vazões que foram consideradas. E garantir a pressão para que as elas ocorram.

Essa mudança trás segurança aos responsáveis e à construtora, já que os diferentes componentes não tinham como ser enquadrados na tabela da antiga norma.

Válvula redutora de pressão em paralelo

A norma antiga dispensava a válvula redutora de pressão em paralelo somente quando o sistema atendia um ponto de consumo, agora, a norma dispensa para uma unidade condominial.

Na prática, possibilitará sistemas com redutoras em cada apartamento. Essa situação é muito útil em sistemas de água quente centralizado, em que é necessária a tubulação de retorno de água.

Variação máxima de 10% na pressão

A norma ABNT NBR 5626 – SPAFAQ, no item 6.14.5, pede que quando uma ducha estiver em funcionamento, ao ligar qualquer outro ponto do sistema, a variação de pressão dinâmica atuante na ducha não exceda 10%.

Em um sistema em funcionamento, onde a pressão na ducha é de 10mca (metros de coluna de água) com vazão de 12 L/m (litros por minuto), a variação máxima permitida é de “10mca x 10% = 1mca”. Quando ligamos um segundo ponto, a vazão passa a ser de 24 L/m, a perda de carga adicionada por essa variação de vazão não poderia ser de 1 mca, situação impraticável, principalmente em sistema com aquecedores de passagem a gás.

Essa é uma situação que vai trazer um risco jurídico para as construtoras, por ser um sistema de fácil medição, com um simples manômetro no chuveiro.

Nesta medição que realizamos em um determinado apartamento, a pressão no chuveiro quando ligamos o segundo caiu de 32 mca para 22 mca, uma variação de 10 mca ou 31,25%, muito além dos 10% permitidos.

Isso em um sistema com grande pressão, quando temos pressões menores, pequenas variações de perda de carga, implicam em variações percentuais ainda maiores.

Acreditamos que a intenção deste ponto na norma foi coerente, segurança e conforto dos usuários, mas acreditamos que poderíamos ter uma variação máxima de 10% da vazão, situação possível de ser atendida.

Leia sobre falta de pressão de água em chuveiros!

Pressões sonoras conforme NBR

Outro ponto importante é que os níveis de ruídos devem ser conforme a “NBR 10152, Acústica – Níveis de pressão sonora em ambientes internos a edificações”. Os ruídos causam diversas chamadas pós obra, determinando os parâmetros que são aceitáveis, trazem uma segurança jurídica para a construtora.

No geral a nova NBR 5626, agora de água fria e quente ficou mais moderna, fácil de utilizar e vai trazer vários benefícios tanato para o consumidor final como para a construtora e os projetistas.

Caso tenha ficado com alguma dúvida, deixe no comentários. Aproveite e se inscreva na nossa newsletter abaixo!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Continue lendo:

GOSTOU DO CONTEÚDO?

Se inscreva na nossa newsletter​

A cada duas semanas, um conteúdo exclusivo em seu e-mail