Skip to content

Como levar BIM para o canteiro de obras?

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
levar bim para o canteiro de obra

Para quem ainda não conhece o termo: o BIM é uma sigla que em português significa Modelagem da Informação da Construção. Ou seja, em vez de realizar apenas desenhos das plantas representando o projeto, o edifício é construído 100% de forma digital, para depois ser convertido em documentos e projetos liberados para a obra.

Em vez de uma linha simbolizar uma parede, temos uma parede virtual, a qual apresenta informações sobre tipo de tijolo, espessura de reboco, revestimento, especificações, quantidade, custo e recursos como a visualização 3D — que são relevantes tanto na concepção de um projeto, como também em sua execução.

Contudo, o BIM no canteiro de obras ainda é pouco aplicado, mesmo proporcionando diversos benefícios como melhoria na visualização e compreensão dos projetos, redução das pranchas impressas na obra, diminuição dos erros de execução, entre outros.

Quer saber mais sobre essa tecnologia e sua relevância no canteiro de obras? Então, continue a leitura!

Qual a relevância e aplicação do BIM para a Construção Civil?

BIM não é aplicado apenas para projetos, mas também em diferentes etapas de uma construção — que foram divididas em dimensões. São elas:

  • 3D — projetos modelados parametricamente;
  • 4D — planejamento;
  • 5D — orçamentação;
  • 6D — desempenho e sustentabilidade;
  • 7D — gestão e manutenção;
  • 8D — segurança.

Sendo assim, o BIM pode — e deve — estar presente em todas as fases de um projeto e principalmente de uma obra. No canteiro, o ideal é que já na execução da infraestrutura — fundações, estaqueamento, blocos, pilares — execução de cisternas, instalações preventivas, e demais atividades iniciais, o modelo seja visualizado e seguido.

Afinal, por meio das simulações realizadas no modelo em conjunto com o planejamento, é possível compreender todo o serviço, as etapas, criar diferentes possibilidades e cenários, além de realizar uma previsão mais assertiva quanto às mudanças e alterações que precisem ser feitas.

Assim é possível evitar acidentes, atrasos, elevação de custos, entre outras situações tão comuns em obras.

Essa previsão mais consistente é decorrente de um dos recursos BIM: a simulação do planejamento da obra, otimizando a logística durante a execução.

Essas funcionalidades e possibilidades permitem que as situações sejam conhecidas antes de sua ocorrência in loco, e dessa forma, as decisões podem ser tomadas ainda na etapa de projeto e planejamento, minimizando muito a série de problemas citadas anteriormente.

Qual a importância de otimizar a produtividade na construção civil?

Para Andrey de Bona, engenheiro da CN Construtora e Incorporadora, utilizar o BIM desde a concepção proporciona significativas melhorias no processo de projeto; compatibilização, orçamento, planejamento e execução. Com isso, diversas atividades são otimizadas.

Isso porque com o BIM é possível extrair quantitativos de materiais a serem utilizados de forma ágil e precisa, facilitando, assim, etapas como orçamentação da obra, compras, negociações, logística de canteiro, elaboração dos cronogramas e também uma visão mais sistêmica do trabalho que será realizado.

“Com a elevação da produtividade — resultado de um planejamento e controle mais eficaz — é possível ter uma maior assertividade e previsibilidade do cronograma físico-financeiro da sua obra”. Disse o engenheiro.

Sendo assim, a otimização da produtividade é essencial para o crescimento das organizações e também para que os recursos sejam melhor empregados.

Quais ganhos são proporcionados pelo BIM no canteiro de obras?

A tecnologia BIM ajuda a melhorar a qualidade e a visibilidade de informações, do modelo, processos e etapas — dessa forma, é possível ter um andamento programado e previsível do seu projeto e da sua obra.

Ter as informações necessárias e inseridas da forma correta no modelo surtirá efeito positivo na produtividade de todos os envolvidos com o projeto, reduzindo o tempo que antes era empregado em etapas como: compatibilização, levantamento de quantitativos, planejamento, orçamentação, logística, entre outras.

Além dos ganhos em relação a tempo, a tecnologia BIM também pode lhe trazer ganhos financeiros, mesmo que inicialmente os custos com implementação e projetos possam parecer maiores.

Isso ocorre porque além da possibilidade de redução dos custos diretos relacionados a retrabalhos na obra, os indiretos também são reduzidos, uma vez que estão totalmente atrelados com a maior produtividade e controle de riscos.

Também é importante salientar que os custos com a implementação BIM podem ser diluídos na obra.

Como sua equipe pode utilizar o BIM no canteiro de obras?

Para que o BIM esteja presente no canteiro de obras, as etapas anteriores, preferencialmente, devem ter sido feitas em BIM, para que então o modelo gerado seja levado ao canteiro.

Para isso, é necessário que os engenheiros, mestres de obra, encarregados e demais profissionais tenham acesso a computadores, tablets ou celulares para a visualização do modelo 3D. A Thorus Engenharia, por exemplo, disponibiliza para seus clientes um visualizador do modelo BIM para o canteiro de obras — agilizando os processos da obra, conferência de serviços e eliminando a necessidade de papeis para visualização do projeto.

É importante destacar, inclusive, que o BIM no canteiro de obras proporciona um aumento significativo na segurança da execução correta dos projetos, uma vez que a visualização 3D do modelo gerado representa a construção, com todos os detalhes e informações técnicas.

Quais as dificuldades para levar o BIM até a equipe de obra?

Trabalhar com BIM demanda que as todas as etapas sigam um fluxo de trabalho colaborativo e ferramentas que possuam interoperabilidade. Por isso, é fundamental que haja uma boa comunicação entre as equipes envolvidas no processo e um ambiente comum de armazenamento de dados e informações, para que seja possível registrar e guardar históricos de todas as decisões tomadas durante o projeto.

É importante destacar que, ao contrário do que muitos profissionais pensam, BIM não é usar um software ou ter em mãos visualizações 3D. Para sua aplicação e funcionamento adequado é necessário analisar os processos da empresa, traçar um plano de ação e execução, preparar os usuários tanto em relação a compreender essa tecnologia, sua importância e como empregá-la nas atividades cotidianas.

Apenas após essas atividades é que se deve analisar e optar pelos softwares que sejam mais adequados para a empresa, realizar o treinamento da equipe e capacitar a mão de obra que atua diretamente no canteiro e também definir processos de acompanhamento.

Essas atividades e etapas de implantação podem ser feitas com o auxílio de consultoria de empresas e profissionais qualificados, possibilitando melhores resultados e uma transição mais suave e assertiva.

Obviamente, todas essas alterações e processos demandam investimentos das empresas e profissionais, assim como mudança da cultura interna, possibilitando a prática de “pensar antes de construir”, por meio da otimização de etapas como: estudo de viabilidade, projetos, compatibilização, orçamentação, planejamento, aquisições, logística, execução, conferência de serviços, uso, operação e, até mesmo, quando necessário, as manutenções.

Gostou desse texto? Quer implementar essas ideias e colher os benefícios do BIM no canteiro de obras, tanto pela visualização 3D como pelas outras possibilidades e melhorias? Então, vem conversar com a gente!

Continue lendo:

Gostou do conteúdo?

Se inscreva na nossa Newsletter

A cada duas semanas, um conteúdo exclusivo em seu e-mail

Gostou do conteúdo?

Se inscreva na nossa Newsletter

A cada duas semanas, um conteúdo exclusivo em seu e-mail