Thórus Engenharia
Ventilação de subsolo: como dimensionar, quanto custa, por que e quando utilizar?

blog

Ventilação de subsolo: como dimensionar, quanto custa, por que e quando utilizar?

Acredito que você já tenha se perguntado a real necessidade de um sistema de ventilação de subsolo, ou então, esteja enfrentando dificuldades para prevê-lo no seu empreendimento. 

Preparamos esse conteúdo para te explicar porque esse sistema é tão importante, quais opções existem e como você pode dimensioná-lo. 

 

O que é ventilação de subsolo?

Nada mais é do que um sistema que permite a renovação de ar. Ela pode ser feita de forma natural, por meio de aberturas, ou mecânica, com um sistema específico. Além de ventilar, esses sistemas podem proporcionar a exaustão de ar do ambiente, por exemplo, permitindo que a fumaça seja retirada do subsolo no caso de um incêndio. 

 

O que compõe?

Para falarmos de componentes é importante destacarmos as duas principais opções: 

 

Ventilação natural

No caso de optar pela ventilação de subsolo natural é importante prever no projeto algumas aberturas no teto ou na parte final da parede, conforme a regulamentação seguida por cada município ou estado. 

 

Ventilação Mecânica

Já a ventilação mecânica possui um sistema mais complexo. A estrutura básica para o seu funcionamento possui:

  • Um motor centrifugo responsável por mover o ventilador de forma que puxa o ar;
  • Dutos que levarão esse ar para fora, proporcionando a troca;
  • Uma veneziana na saída; 
  • Um registro para controle da passagem do ar em apenas um sentido. Ou seja, todo ar que entra é obrigado a sair, não conseguindo retornar ao ambiente.

 

Quais os benefícios da ventilação de subsolo?

Além de a ventilação de subsolo ser exigida, em alguns municípios, para construções com áreas pré estabelecidas, ela ainda traz vários benefícios para o ambiente de subsolo. 

Entre eles, podemos citar a segurança em caso de incêndio ou acidentes ocasionados por fogo. A existência do sistema permite que o espaço seja ventilado adequadamente e “expulse” toda a fumaça, fazendo a renovação do ar. 

Outro ponto importante de se destacar é a potabilidade do ambiente. Um subsolo devidamente ventilado não terá problemas com umidade, mofo, mau cheiro ou fuligem no teto. 

 

Como dimensionar?

O documento responsável pela regulamentação da ventilação de subsolo é o código de obras do município e a legislação do corpo de bombeiros. Muitas cidades e estados não possuem um código próprio ou então, basearam-se na IT 15, do Corpo de Bombeiros Municipal de São Paulo. Por isso, essa IT é uma das mais seguidas no Brasil. 

Nela, na Parte 6, temos as seguintes instruções de dimensionamento:

No caso de ventilação/exaustão natural são necessárias aberturas no pavimento, no teto ou no terço superior, sendo permitido dutos apenas no trajeto vertical. As aberturas deverão ter 1/40 da área ocupada do subsolo.

Por exemplo:

Se a área é 952,04m², a dimensão das aberturas devem ser:

952,0440= 23,08 m²

 

Já a ventilação/exaustão mecânica deve ser dimensionada para atender, no mínimo, 10 trocas do volume de ar por hora. Então, temos a seguinte fórmula:

v= Ah T

Onde:

  • “v” é a vazão total necessária para atender o ambiente
  • “A” é área 
  • “h” é a altura do pé direito do subsolo
  • “T” é trocas de ar por hora

 

Algumas cidades possuem suas próprias legislações, por isso, trouxemos alguns exemplos para você. 

 

Quanto custa?

Quanto vai custar um sistema mecânico de ventilação de subsolo realmente é uma pergunta complexa de se responder. Muitos fatores estão envolvidos nesse cálculo, como o tamanho do ambiente, a regulamentação seguida e os componentes e potências necessárias. 

Fizemos uma simulação com duas ideias de valores, considerando apenas o motor/ventilador, seguindo a IT 15, em um ambiente com subsolo de 952,04m² e outro com 5103,05m². 

 

Simulação 1

 

 

 

 

 

Nesse caso, chegamos a uma vazão total de 25.514,7 m³/h. Para atender essa demanda, a sugestão seria:

 

Simulação 2

 

 

 

 

 

Já na simulação dois, temos uma vazão total de 152070 m³/h. A sugestão para atender esse valor seria:

 

Posso instalar após o início da obra? 

Se sua obra já começou, mas você não previu a ventilação de subsolo, pode ficar tranquilo! Nesse caso, ainda é possível adaptar seu projeto para inclusão do sistema. Normalmente, a opção viável é a instalação mecânica, já que a natural envolveria a produção de aberturas em uma estrutura já pronta. É impossível? Não, mas é necessária uma avaliação detalhada do espaço. 

Já no caso de adequação para instalação mecânica é importante que você esteja consciente dos impactos que seu projeto sofrerá. Podemos destacar:

  • Espaço físico para os equipamentos 
  • Redimensionamento da entrada de energia 

 

Não esqueça do gerador de energia! 

Aqui temos um ponto muito importante quando falamos de instalação mecânica para ventilação de subsolo. Para o sistema funcionar adequadamente ele deve ser ligado ao gerador, então, não esqueça de considerá-lo no dimensionamento. Afinal, o impacto será grande e você não quer enfrentar problemas com sobrecarga de energia após a entrega do empreendimento, não é? 

Na norma de cada região é possível conferir também a autonomia do gerador para o sistema de ventilação mecânica. No caso da IT 15, o tempo previsto é de 60 minutos.

 

Meu sistema de ventilação de subsolo mecânico precisa ficar ligado 24h?

Depende! Essa informação também é orientada na legislação seguida por cada região. No caso da IT 15, a extração de ar só precisa ser acionada em caso de emergências, para a retirada da fumaça no ambiente, por exemplo. 

Já no caso de ventilação, se a opção escolhida for a mecânica, é importante que o sistema funcione ininterruptamente para a renovação do ar e manter a boa potabilidade do ambiente. 

 

E se meu subsolo for área de estacionamento?

No caso do subsolo do seu empreendimento ser destinado a estacionamento ele deve possuir ventilação e exaustão permanente, conforme a IT 15. Deve possuir ventilação natural garantida por aberturas em, pelo menos, duas extremidades opostas ou no teto junto a essas paredes. Elas devem corresponder, no mínimo, à proporção de 0,006 vezes o volume total do local. 

E aí, o que achou? Espero que tenha te ajudado! 

Caso tenha alguma dúvida específica para o seu empreendimento, entre em contato com a gente!

E se quiser receber mais conteúdos como este é só se inscrever na nossa newsletter aqui embaixo!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Continue lendo:

GOSTOU DO CONTEÚDO?

Se inscreva na nossa newsletter​

A cada duas semanas, um conteúdo exclusivo em seu e-mail