Thórus Engenharia
Ventilação natural: o que é e como funciona?

blog

ventilação natural na arquitetura

Ventilação natural: o que é e como funciona?

Além de contribuir para a eficiência energética do seu projeto, a ventilação natural na arquitetura ajuda a renovar o ar do ambiente e auxilia no controle de gastos. Ela integra o conceito de Arquitetura Bioclimática, uma tendência do setor de sustentabilidade.

Leia também: Como o BIM pode melhorar a eficiência energética na arquitetura dos edifícios?

Mas afinal, o que é Ventilação Natural na Arquitetura?

Nada mais é do que a utilização da energia natural (vento) para criar um ambiente saudável e confortável. A ventilação natural também ajuda a garantir o conforto térmico do seu projeto. Para assegurar a qualidade do ar – propiciado pela troca -, conforto térmico e economia de custos, a ventilação natural precisa ser aplicada de forma inteligente.

Como funciona e quais são os tipos de ventilação:

Como citado anteriormente, esse tipo de ventilação usa o ar como fonte principal, já que ele é um recurso infinito, sustentável e gratuito. Geralmente, em edifícios se usam os sistemas de ar-condicionado e ventilação mecânica, que geram um enorme custo. Para evitar isso, em seu próximo projeto, use e abuse da ventilação natural.

Mas, é importante lembrar que cada região tem um tipo de clima, por isso faça um estudo sobre o bioclima da região onde pretende construir antes de definir a estratégia de ventilação.

As principais técnicas de ventilação natural são: sistema passivo de ventilação, ventilação cruzada, ventilação natural induzida e efeito chaminé.

Sistemas passivos de ventilação

Utilizando pressões diferentes, esses sistemas movem o ar fresco entre os edifícios. A diferença da pressão ocorre devido ao vento ou por diferença de temperatura. Alguns exemplos são:

Ventilação cruzada:

Sendo a técnica mais utilizada, a ventilação natural usa diversas aberturas do projeto para criar uma corrente que permita a circulação de ar no espaço.

Se você optar por esse tipo de ventilação, lembre-se do seguinte:

  • Os jardins, montados ao lado de edifícios, ajudam a manter a umidade e auxiliam na circulação do ar
  • É preciso ficar atento a localização das aberturas automáticas devido às questões como segurança patrimonial e poluição do ambiente

Ventilação natural induzida:

Nesta técnica é utilizado um sistema de indução térmica para a condução do resfriamento do ar. Aqui, um mecanismo provoca a diferença entre as densidades do ar quente e frio. Como o ar quente é mais leve que o frio, o quente fica mais em cima e o frio mais embaixo.

Efeito Chaminé:

A técnica de efeito chaminé é muito utilizada em edifícios verticais, pois, como citado anteriormente, devido à pressão que o ar frio tem sobre o ar quente, ele o força a subir. Assim, espalhar o ar quente nas áreas abertas.

Quais os benefícios de utilizar a ventilação natural?

As vantagens são diversas. Primeiro, ao reduzir a utilização de equipamentos de ar condicionado e afins, você reduz o consumo de energia. Segundo, a qualidade do ar que se tem com a ventilação natural é muito mais benéfica à saúde. E terceiro, evita-se o desenvolvimento de fungos e mofos devido a retirada de umidade da edificação propiciada pela troca de ar.

Ainda não há nenhuma norma que regulamentem este tema, porém há duas que tratam sobre itens importantes da ventilação natural: a NBR 15.220 e a NBR 15.575.

Projeto eficiente

Antecipar o desempenho da ventilação natural é fundamental para conceber um projeto eficiente. Ao antecipá-lo, se pode prever problemas e testar soluções.

Existem softwares que analisam a circulação do ar de forma simplificada, como o Fluxo Ventos, que simula a  ventilação cruzada auxiliando na decisão inicial do projeto e adequação de ambientes, e softwares que avaliam por modelos da dinâmica de fluidos computacional (CFD) – neste caso são resultados mais robustos que podem prever as características mais detalhadas do ar no interior e no entorno da construção.

Os programas de análise CFD mais conhecidos são o Autodesk CFD e o ANSYS. As aplicações destes programas vão além de edifícios e são aliadas às necessidades de quase todos os setores da engenharia. Também é possível fazer análise CFD pelo software Design Builder – conhecido por realizar simulação termo energética –, sendo exclusivamente para edificações.

Se você curtiu esse conteúdo, não deixe de assinar nossa newsletter e acompanhar nossos conteúdos sobre o setor da construção civil!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Continue lendo:

GOSTOU DO CONTEÚDO?

Se inscreva na nossa newsletter​

A cada duas semanas, um conteúdo exclusivo em seu e-mail