Thórus Engenharia
Aquecedor a gás para apartamento: Especificações técnicas, instalação, adequações do ambiente e segurança

blog

Aquecedor a gás para apartamento: Especificações técnicas, instalação, adequações do ambiente e segurança

Notícias sobre famílias vitimadas por vazamentos de gás, como a de São Paulo (13/07/2019) e a do Chile (22/05/2019) voltaram nossa atenção para o aparelho aquecedor a gás.

Estes incidentes geraram preocupações acerca das precauções a serem tomadas em seu empreendimento?

Neste artigo vamos esclarecer dúvidas sobre aquecedores a gás e enumerar as estratégias de prevenção que podem e devem ser aplicadas em qualquer edificação.

Mas para início de conversa…

Por que utilizar o aquecedor a gás?

Os aquecedores a gás garantem pressão e temperatura da água mais elevadas, comparados a sistemas elétricos, pois possuem altas potências e aquecem grandes volumes de água sem precisar reduzir a vazão.

Outro benefício é a redução da conta de energia do fim do mês, pois o gás utilizado pelo aquecedor torna-se mais barato do que a energia elétrica. Isso se o aquecedor possuir o Selo Conpet, o qual garante que não haja desperdícios energéticos.

Se realizada a devida manutenção no equipamento, os aquecedores podem ter duração de longos anos. Os modelos digitais têm vida útil de 15 a 30 anos, enquanto os modelos mecânicos de 8 a 10 anos.

Como eles alimentam vários pontos de consumo da casa ao mesmo tempo, deve-se ter muito cuidado com o dimensionamento do aparelho para que atenda a vazão requerida.

Como funciona o aquecedor a gás?

Para acender a chama, o aparelho possui um queimador que é semelhante ao de um fogão. A chama fica acesa dentro de uma câmara de combustão com um sistema de serpentina ao redor dela, por onde a água passa e é aquecida.

Mas como essa chama é controlada?

O sistema é automático: um pressostato conectado a um sensor na rede de água e uma válvula que controla a passagem do gás para o queimador.

Dessa forma, quanto mais fria a água, mais intenso é o fogo. Por isso, temos água quente sempre!

Quais são os tipos de aquecedores?

São divididos em dois grupos: de passagem e de acumulação.

A principal diferença entre os dois é que aquecedores de passagem não necessitam de um reservatório de acumulação, pois a água é consumida imediatamente.

Já os de acumulação possuem um boiler, com revestimento térmico, onde a água aquecida fica armazenada.

A escolha apropriada do tipo de aquecedor é essencial para o correto funcionamento da instalação.

Qual tipo de gás é utilizado?

Dois tipos de gases podem ser utilizados:

  • Gás Liquefeito de Petróleo (GLP) – mistura gasosa que é transformada em líquida e armazenada em botijões. Este é o mais comumente utilizado no Brasil.
  • Gás Natural – composto que pode ser obtido por meio de jazidas ou da queima da biomassa. Sua distribuição é feita por meio de uma rede encanada, conhecida como gasoduto.

A densidade relativa do gás natural é menor que 1, isso significa que é mais leve que o ar e, portanto, em casos de vazamento em ambientes internos, o gás não ficará acumulado nas regiões inferiores. Sendo assim, a existência de orifícios superiores de ventilação é suficiente para dissipá-lo.

Já a densidade relativa do GLP é maior que 1, isso significa que é mais pesado que o ar e, portanto, em casos de vazamento em ambientes internos, o gás ficará acumulado nas regiões inferiores, podendo ir para ralos e caixas de inspeção.

Isso nos leva ao próximo tópico.

As adequações para um ambiente seguro

Aberturas para ventilação permanente: garantem a conexão dos ambientes internos e externos, assim renovando o ar constantemente.

Devem existir duas aberturas, a superior e a inferior. Sem elas, você não conseguirá a certidão do habite-se!

Mas como devo posicionar essas aberturas?

Abertura superior permanente para saída de ar:

  • Deve estar a, no mínimo, 1,50 m acima do piso acabado;
  • A área da saída de ventilação deve estar localizada a uma distância mínima de 1,20 m de aberturas de ventilação de outros pavimentos;
  • Deve ser conectada à área externa diretamente ou indiretamente por meio de um duto exclusivo. Este duto deve atender aos requisitos da tabela abaixo:

FONTE: COMGÁS

FONTE: COMGÁS

 Abertura Inferior para entrada de ar:

 

  • Deve estar localizada a uma altura máxima de 0,80 m do piso acabado;
  • No caso de ventilação direta, deve ser realizada através de passagem pela parede e a entrada da ventilação deve estar localizada a uma distância mínima de 1,20 m de aberturas de ventilação de outros pavimentos;
  • No caso de ventilação indireta, deve possuir duto ou conexão com outro ambiente, exceto dormitórios, que também possuam ventilação permanente e um volume superior a 30 m².

Exemplos de ventilação inferior indireta:

Áreas mínimas de ventilação

As áreas mínimas são calculadas a partir da potência dos aparelhos a serem instalados no local.

As características dos aquecedores também infuenciam na abertura.

A classificação dos aquecedores é de acordo com:

  • O tipo de combustão – pode ser fechada ou aberta
  • O tipo de sistema de exaustão – natural ou forçado
  • A existência ou não de duto de exaustão

Tabela de classificação dos tipos de aquecedores e seus componentes:

Requisitos para instalação de aquecedores de acordo com o tipo:

Ptag é a potência nominal total dos aparelhos a gás instalados no ambiente, expressa em kcal/min.

O que pode ser considerado como área externa?

Exterior da edificação: toda área construída não coberta;

Prisma de ventilação : é o espaço livre dentro da edificação em toda a sua altura que garante a ventilação dos compartimentos.

Quais as dimensões mínimas do prisma de ventilação?

Superfície em planta =  4,00 m²

Dimensão do lado menor = 1,00 m

Se houver cobertura, deve haver uma superfície permanente de comunicação com o exterior da edificação de 2,00 m² no mínimo.

Caso não haja espaço suficiente, a norma permite que o prisma tenha menores dimensões desde que sua seção útil seja uniforme em toda a extensão e possuir no mínimo 0,1 m² por pavimento.

Outra observação importante é que quando a seção do prisma for retangular, o lado maior deve ser no máximo 1,5 vezes o lado menor e, também, o prisma deve possuir abertura na parte inferior, com área mínima de 200 cm².

É possível conectar as chaminés dos aquecedores ao prisma?

 Sim! Mas para que haja garantia da renovação do ar, é preciso atenção às especificações:

  • Superfície mínima em planta do prisma de ventilação (m²) = 1 x Nt, sendo maior que 6,00 m²

Nt = número total de locais que podem conter terminais de aparelhos a gás direcionados ao prisma de ventilação.

  • Caso possua uma cobertura: a superfície permanente de comunicação com o exterior da edificação deve ser de 25% da sua seção em planta, com um mínimo de 4,00 m².

Onde o aquecedor deve ser instalado?

Ele deve sempre ser instalado em locais com circulação de ar, como áreas de serviço, quintais e sacadas.

Deve existir um espaço entre o aparelho e a janela de 40 cm no mínimo. Assim, evita-se o retorno do vento, o qual pode apagar a chama e gerar vazamento de gás.

E onde não deve ser instalado?

Não é permitida sua instalação em dormitórios e banheiros, com uma exceção à regra:

Os dormitórios e banheiros podem receber um único aparelho no seu interior, desde que o aquecedor seja de circuito fechado.

Isso porque se trata de um aquecedor com fluxo balanceado, ou hermético. Isto quer dizer que ele não utiliza o ar do ambiente para a combustão: um duto faz a conexão com o exterior da edificação, trazendo o oxigênio de fora.

Para esse tipo de aquecedor, não há necessidade de ventilação permanente.

Quais medidas devem ser tomadas para que a instalação seja adequada?

As precauções com o sistema de aquecimento a gás compreendem desde a classificação do modelo de aquecedor apropriado às inspeções após anos de uso.

A instalação

A norma NBR 13103 orienta que sejam providenciados os seguintes documentos para o momento da instalação:

  • lista de verificação de instalação e teste de funcionamento do aparelho a gás;
  • anotação de responsabilidade técnica (ART) de instalação do aparelho a gás;
  • certificado de instalação do aparelho a gás.

Atenta-se que além de seguir as prescrições da norma, a instalação deve ser feita por um profissional qualificado, bem como supervisionada, para que o processo seja concluído com êxito e segurança.

A manutenção dos aparelhos a gás

A inspeção periódica dos equipamentos se faz necessária para verificar se o sistema continua funcionando nas devidas condições.

Qual a periodicidade da manutenção?

É recomendado que os técnicos façam inspeções pelo menos uma vez ao ano nas instalações residenciais. Para instalações industriais, a cada seis meses.

Todos os aparelhos a gás da edificação devem ser inspecionados visualmente.

Dica: Os aparelhos digitais exibem um autodiagnóstico em seu display na forma de códigos. Os códigos de erro indicam se os aquecedor estão com defeitos e precisam de manutenção.

Mas o que deve ser analisado?

Inicialmente é verificado o estado de conservação do aparelho, isto é, se há algum vazamento (de gás ou água) e se todas as peças estão como previsto originalmente.

Posteriormente o funcionamento do aparelho é testado, o que inclui a verificação das condições de chama, o acendimento automático do queimador, o funcionamento dos queimadores em regime de carga mínima e máxima e a verificação dos botões de regulagem.

As chaminés de exaustão também devem ser verificadas, porém entraremos em mais detalhes sobre as chaminés no decorrer da leitura.

Como funciona a exaustão do aquecedor?

Quando o aquecedor é acionado, a chama de gás é acesa e a combustão dos gases acontece. Os gases nocivos passam por um duto de exaustão e são liberados pela chaminé.

A exaustão pode ser:

  • Individual – duto conectado diretamente ao exterior da edificação
  • Coletiva – duto de exaustão individual conectado à chaminé coletiva

Quais são as especificações dos dutos?

 Devem ser fabricados em materiais incombustíveis, suportar temperaturas superiores a 200ºC e serem resistentes à corrosão.

E o material?

Os dutos devem ser de alumínio rígido ou de aço galvanizado rígido, nunca devem ser utilizados dutos de plástico ou flexíveis de outro material além de metal.

O aço é utilizado em casos de ventilação forçada, alumínio para ventilação natural.

Quais são os requisitos de instalação dos dutos?

  • Devem ter o menor trajeto possível, evitando curvas;
  • Devem ser inclinados (a inclinação é definida pelo fabricante);
  • Não devem ser feitas emendas no duto, com exceção das conexões;
  • Objetos não devem ser apoiados no duto e este não pode estar sobre materiais inflamáveis;
  • Não é permitida a passagem de chaminé individual através de espaços vazios desprovidos de ventilação permanente;
  • A devida fixação do duto aos aparelhos e aos terminais é essencial para evitar vazamentos;
  • É proibida a instalação de dois ou mais aparelhos a gás com exaustão natural com um único terminal;
  • Devem ter terminais instalados em suas extremidades.

Atenção aos forros!

A chaminé individual pode passar pelo interior de forros, desde que atenda às seguintes condições:

  • O forro deve estar isolado de outros forros pertencentes a locais de permanência de pessoas, tais como: dormitórios, cozinhas, salas e banheiros;
  • O forro deve possuir área de ventilação direcionada ao ambiente que tenha ventilação permanente;
  • A área de ventilação do forro deve ser no mínimo de 200 cm² .

Como são as chaminés?

Devem estar voltadas para o ambiente externo e possuir terminais em suas extremidades, como os definidos abaixo:

                     

Terminal tipo “T”                                       Terminal tipo Chapéu Chinês

 

Os terminais devem ser confeccionados com materiais resistentes ao calor e à corrosão. Como estão expostos à intempéries, devem estar devidamente fixados para evitar deslocamentos.

 Qual deve ser a posição dos dutos na face da edificação?

Separamos exemplos de como fazer e como não fazer, confira abaixo:

  • 40 cm abaixo de beirais de telhados, balcões ou sacadas. Caso não seja possível atender este afastamento o terminal deve ser instalado a 10 cm da projeção horizontal da edificação;
  • 40 cm de outras paredes do prédio ou obstáculos que dificultem a circulação do ar (tiragem natural);

Erros:

  • 60 cm da projeção vertical das tomadas de ar-condicionado;
  • 40 cm de janelas de ambientes de permanência prolongada (quartos e salas);

  • Não serem instaladas sob janelas basculantes;

Erros usuais de instalação da exaustão

1 – Aquecedor sem exaustão

2 – Duto com redução de diâmetro

1 – Duto com inclinação descendente

2 – Duto muito extenso sem inclinação

Alturas insuficientes

1 – Chaminé no interior da residência

2 – Posição horizontal

 

Para o sucesso de seu empreendimento:

Atente-se sempre às normas e siga as especificações previstas em projeto! Caso existam divergências na obra com relação ao projeto, é válida uma análise aprofundada.

Dessa forma sua edificação estará resguardada e segura!

 

6 respostas

    1. Oi Marisonete, tudo bem? Fumar próximo aos aquecedores a gás apresenta baixo risco, visto que o próprio equipamento funciona com chama aberta. Porém, da mesma forma que fogões residenciais e outros equipamentos a gás, podem ocorrer vazamentos nos equipamentos ou nas conexões trazendo riscos de explosões.

    1. Olá Taner, o ponto de gás que abastece o aquecedor deverá ficar a uma distância mínima de 30cm do ponto elétrico. Desconheço alguma exigência de distanciamento do aquecedor para tomadas, até por que a maioria dos aquecedores necessita um ponto elétrico para o funcionamento.
      Abração
      Cristiano

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Continue lendo:

GOSTOU DO CONTEÚDO?

Se inscreva na nossa newsletter​

A cada duas semanas, um conteúdo exclusivo em seu e-mail